Skip to content

Regência verbal e nominal – Domine Esse Tópico

Entre os assuntos mais cobrados na matéria de língua portuguesa, em provas de concursos públicos, estão regência verbal e nominal.

Esses não são temas tão complexos para a maior parte, mas em questões de provas as bancas podem armar muitas “pegadinhas” que confundem o candidato que está sob pressão.

Desse modo, é preciso conhecer bem sobre o que é cada um desses temas e as principais dicas de como resolver questões sobre regência, evitando cair em erros comuns.

Assim, se você quer saber tudo sobre regência verbal e regência nominal para concursos, não deixe de acompanhar este artigo até o final.

Boa leitura!

Regência verbal e nominal para concursos: Tudo o que você precisa saber

O que é regência verbal?

A regência verbal procura indicar ou identificar a relação de um verbo com um determinado complemento através do uso ou não de uma preposição (transitivo direto ou indireto).

Por meio dela, é possível também saber se aquele determinado verbo exige ou não um complemento (ou seja, se ele é transitivo ou intransitivo).

Assim, por meio da regência é possível saber se um verbo, em uma oração, é:

  • Transitivo direto (exige um complemento, mas sem o uso da preposição)
  • Transitivo indireto (exige um complemento, com o uso da preposição)
  • Intransitivo (não exige complementos verbais, que são os objetos indiretos ou diretos)

A identificação desses verbos e do tipo de complemento são muito comuns de serem cobrados em provas, e ainda confundem bastante os candidatos.

O que é regência nominal?

A regência nominal, por sua vez, é quando um nome ou um termo regente (que pode ser um substantivo abstrato, um advérbio ou ainda um adjetivo) exige um complemento, sendo assim transitivo.

Esse complemento, que é o termo regido, é estabelecido pelo nome por meio do uso de uma preposição, o que caracteriza a regência nominal.

Um exemplo de regência nominal, em que o termo regido é um substantivo abstrato, é “o acesso ao rio é a única forma de passagem”.

Nesse exemplo, você pode ver como o substantivo abstrato “acesso” exige o complemento do termo “ao rio” para fazer sentido (observe também a utilização da preposição “ao”).

Visto o que é a regência verbal e a regência nominal, está na hora de ver as dicas mais comuns desses dois temas para concursos, que podem ajudar-lhe muito na hora da prova.

Dicas para concursos: Regência verbal 

Você verá agora algumas dicas para concursos sobre regência verbal, focando nos temas que mais são cobrados sobre esse assunto e que mais geram dúvidas (e erros) aos candidatos.

Alguns verbos apresentam duas regências diferentes: uma na variedade padrão, outra na variedade coloquial

Esse é um caso muito comum de se cair em provas: o de verbos que podem apresentar regências diferentes, ou seja, uma regência na variedade padrão e outra regência na variedade coloquial.

A variedade padrão está relacionada com um contexto formal, enquanto a variedade coloquial a um contexto da linguagem coloquial.

Os principais verbos que apresentam essa ambiguidade de regências são: assistir, chegar, ir, perdoar, pagar, obedecer, visar e preferir.

Exemplo do verbo assistir com a variação de regências (na variedade padrão e na variedade coloquial).

  • Eu não assisto filmes de ação.
  • Eu não assisto a filmes de ação.

e coloquial, assistir é um verbo transitivo direto, não exigindo o uso da preposição (Eu não assisto filmes de ação).

Isso porque, na linguagem coloquial, quem assiste ou vê algo, assiste alguma coisa.

Por outro lado, na variedade padrão ou linguagem formal, quem assiste ou vê algo, assiste a alguma coisa, então exige uma preposição, sendo verbo transitivo indireto (Eu não assisto a filmes de ação).

Alguns verbos apresentam diferentes regências dentro da variedade padrão

Para complicar ainda mais a vida dos candidatos, as bancas cobram também, em regência verbal, aqueles verbos que apresentam diferentes regências dentro da variedade padrão.

Essa regência irá depender muito do sentido ou do significado com o qual esse verbo está sendo empregado.

Entre os verbos que apresentam essa característica estão: querer, visar, assistir e informar (note que visar e assistir também fazem parte desse grupo, assim como do tópico anterior).

O verbo assistir, o mais comum deles, pode ser utilizado tanto com o significado de “ver algo” como de “auxiliar alguém”.

No caso do verbo assistir com significado de “auxiliar”, ele é transitivo direto, enquanto que com sentido de “ver”, ele é intransitivo indireto.

Dicas para concursos: Regência nominal

Acima, você pôde ver duas importantíssimas dicas para não errar mais regência verbal com dois temas muito cobrados em concursos sobre esse assunto.

Neste tópico, é hora de acompanhar uma dica sobre regência nominal, entendendo o que é mais cobrado em provas e que pode “derrubar” muitos concurseiros.

É bom ressaltar, porém, que a regência verbal costuma ser muito mais cobrada do que a nominal, o que não significa que você deve deixar a segunda de lado.

Nomes derivados de verbos possuem a mesma regência que eles

Quando um nome (substantivo, adjetivo ou advérbio) deriva de um determinado verbo, então ele segue a mesma ordem de regência dele.

Por exemplo, no verbo devotar, quem é devoto é devoto “a” alguma coisa ou “a” alguém, e o mesmo acontece com o nome devoto, que pode ser um adjetivo.

  • Ele era um homem devo ao santo Antônio.

Assim, nomes derivados de verbos como admirar, obedecer, atentar, duvidar e respeitar, sempre terão a mesma regência que estes, o que facilitará para você na hora da regência nominal.

Conclusão

Como você viu, os assuntos de regência verbal e nominal para concursos são sempre muito cobrados em provas, por isso, é preciso ficar atento para acertar as questões referentes a esse tema.

Neste texto, você pôde ver algumas dicas importantes de regência verbal e nominal para utilizar em concursos, com a questão dos verbos sendo mais cobrada pelas bancas.

Gostou do artigo de hoje ? 

Se você ficou com alguma dúvida sobre esse assunto, escreva-a abaixo nos comentários para que eu possa ajudá-lo.